Coluna da terça-feira

05:16 Blog do Adeildo Alves 0 Comentários




04/07

2017


    Semana reserva fortes emoções
A semana promete. Hoje, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), deve escolher o relator da denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Temer. O responsável pela relatoria terá cinco sessões, após a manifestação da defesa, para apresentar seu parecer. Aliados do governo defendem que, no mesmo dia, o presidente apresente seus argumentos contra a denúncia.
Os advogados dizem que, até o fim desta semana, devem apresentar a defesa. Temer tem até dez sessões para protocolar a defesa na Câmara e a intenção do Planalto é entregá-la o mais rápido possível. Também hoje, o PSB deve fazer uma reunião para discutir sobre a posição da bancada em relação ao seguimento da denúncia. A líder Tereza Cristina (MS) é próxima a Temer, mas admite que a maioria da bancada, de 36 deputados, deve optar por votar pelo seguimento da denúncia.
A semana também será agitada no Senado. Autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a retomar o mandato após afastamento do cargo desde maio, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve fazer, hoje, um discurso no plenário para se defender de acusações da PGR. O tucano também deve ouvir seus colegas de partido sobre seu retorno ou não à presidência da sigla, ocupada interinamente pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).
Após a saída do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) da liderança do partido na Casa, os peemedebistas devem fazer, também hoje, uma reunião para decidir quem ocupará o cargo. Com o partido fragilizado, os senadores querem evitar uma votação e preferem fazer o encontro já com um nome acordado para o cargo. A escolha acontece em meio a um novo debate sobre a reforma trabalhista na Casa.
O presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE), programou para hoje a votação do requerimento de urgência para o projeto. Se todos os prazos forem cumpridos, o projeto poderia ser votado já no dia seguinte. Porém, para evitar confrontos com a oposição e buscar apoio mais consistente na base, a votação de amanhã deve ser adiada.
GASTOS– O teto dos gastos enfrenta a sua primeira prova de fogo no ano que vem. Pela regra, a despesa da União poderá crescer pouco mais de 3%. No entanto, a previsão é que as despesas obrigatórias com INSS, aposentadorias de servidores federais e benefícios a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda crescerão mais que o dobro desse valor permitido: 8%. O limite para o crescimento de gastos da União é uma das principais medidas econômicas do governo Michel Temer. Ao colocar freio nas despesas, o Estado sinaliza que tem compromisso com a saúde das finanças públicas e preserva a confiança junto a investidores. Pela regra, o gasto anual corresponde à inflação oficial, medida pelo IPCA, acumulada em 12 meses até junho do ano anterior. Junho já passou e é possível traçar cenários.
Lira substitui Renan – De acordo com parlamentares ouvidos pelo blog, o senador Raimundo Lira (PB), que presidiu a comissão especial do impeachment de Dilma Rousseff, desponta como favorito para assumir a liderança do PMDB no Senado no lugar de Renan Calheiros (AL). Na última sexta-feira, ele foi recebido por Temer no Palácio do Planalto. Outro senador cotado para assumir a função, Garibaldi Alves (RN), disse que não quer assumir a função, porque neste momento está mais dedicado ao Estado. Investigado na Operação Lava Jato, o parlamentar enfrenta um momento delicado na carreira política.
Sem fechar questão– O presidente do PMDB e líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou, ontem, que o partido não vai fechar questão sobre a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara. Segundo ele, por não ser uma questão partidária, não há razão para obrigar os deputados a seguirem uma orientação.   "Não precisa fechar questão, pois isso não é questão partidária, é questão de foro íntimo, de julgamento", afirmou Jucá. Ele, no entanto, não descarta que a bancada do partido tome a iniciativa. "A bancada do partido, se quiser, vai pedir no âmbito Câmara. A posição do presidente do partido é analisar qualquer pedido e agir como juiz”, afirmou.
Iluminação da BR-104 – A deputada estadual Laura Gomes (PSB) quer que o Governo ilumine a BR-104, com a implantação do posteamento e de luminárias no acesso à Universidade Federal de Pernambuco, no Campus do Agreste. A licitação destinada a contratar um consórcio de três empresas para restaurar e duplicar trechos da BR-104 demandará recursos da ordem de R$ 77 milhões. “Para Caruaru, a prioridade é a iluminação, porque a via atravessa extensas áreas urbanas das zonas norte e oeste, afetando a segurança de milhares de pessoas. Além disso, trata-se de melhorar as condições da via para o deslocamento de milhares de condutores diariamente”, disse.
Ventos de mudança – Ao celebrar a vitória do prefeito eleito de Belo Jardim, Hélio dos Terrenos (PTB), o senador Armando Monteiro (PTB-PE) disse que o “vento de mudança” vai se espalhar por todo o Estado. "Esse vento que está passando por Belo Jardim vai também se espalhar por Pernambuco", afirmou.  Para ele, passada a vitória nas urnas, o desafio será colaborar com a futura gestão de Hélio para fazer o município avançar e se desenvolver. “Havia no município um sentimento de mudança, um anseio da população por um novo caminho, um novo rumo. Hélio soube encarnar essa mudança. Agora, o desafio é poder corresponder na administração essa expectativa. Nossa responsabilidade é ajudar Hélio governar e atender o desejo do povo”, destacou.
CURTAS
COMPLICADOR - A prisão do ex-ministro da Secretaria de Governo na gestão Temer, Geddel Vieira Lima, pegou o Palácio do Planalto de surpresa em um momento no qual o Governo seguia com os preparativos para tentar barrar na Câmara dos Deputados a denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente por corrupção passiva. Até o início da tarde, o Governo não tinha qualquer indicativo de que Geddel seria preso, e o ambiente no Palácio era de normalidade.
NO CABO – Após visitas realizadas a diversos bairros do Cabo de Santo Agostinho em situação crítica devido às fortes chuvas que caíram no município, o prefeito Lula Cabral (PSB) autorizou, ontem, uma força-tarefa em várias localidades. As Ruas Cristo Rei e da Paz, no bairro da Cohab, também receberam uma atenção especial e já começaram a receber brita e pó de asfalto para melhorar a mobilidade dos motoristas e pedestres que transitam nos locais.
Perguntar não ofende: Depois da Geddel, quem vai ver também o sol nascer quadrado? 

0 comentários:

Clique no X para fechar ou Atualize a página